Auto

Compra e venda de veículos: cuidados importantes para aplicar durante esse processo

Compra e venda de veículos: cuidados importantes para aplicar durante esse processo

A compra de carros é muito frequente em nosso país, seja um veículo 0 km, seminovo ou usado. E não é para menos quando analisamos que ter o carro próprio é o sonho de muitas pessoas e é uma conquista sem igual por ser um bem valioso que leva diversas vantagens no dia a dia.

Mas antes de começar a pesquisar carro para descobrir qual é o modelo que você deseja, ver preços para comprar ou definir o valor de venda do seu veículo, é importante lembrar que existe uma série de cuidados que você precisa tomar.

Afinal, seja na hora de comprar ou de vender - dois movimentos que acontecem frequentemente em nosso país - não seria nada legal ter o seu bem desvalorizado de alguma forma, gastar mais do que o devido para comprar, ou perder dinheiro com a venda, não é mesmo?

Para entender tudo sobre esse assunto e não ter nenhum problema ou perda de dinheiro, confira esse texto da Pier!

Quantos carros são comprados e vendidos anualmente no Brasil?

De acordo com um levantamento da Fenabrave, o acumulado de emplacamento de automóveis e de veículos comerciais leves em 2021 totalizou cerca de 1.974.431, mostrando que houve um grande número de compra de carros 0 km em todo o território brasileiro. Já conforme dados da FENAUTO (Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores), no mesmo ano foram vendidos cerca de 15.106.724, isso entre seminovos e usados.

Com base em ambas as pesquisas, vemos que existe uma alta movimentação na compra e venda de automóveis, e a expectativa é que cresça cada vez mais. É exatamente isso que torna fundamental ter total conhecimento sobre os devidos pontos de atenção, tudo para evitar problemas.

Quais cuidados eu devo tomar na hora de comprar um veículo novo?

Quando falamos sobre comprar um carro, existem alguns fatores que fazem toda a diferença no processo. Aqui, estamos falando sob a perspectiva do custo-benefício, ou seja, onde você vai pagar uma quantia justa para ter um bom carro ao seu dispor.

Mas para ficar mais fácil de entender, nós separamos entre dois pontos: carros novos e carros usados (considerando seminovos e mais rodados). Veja abaixo, então, os respectivos cuidados na hora de adquirir um veículo em cada situação:

Veículos 0 km

Para quem quer obter um carro zero, apesar de parecer controverso a primeiro momento, o principal cuidado diz respeito aos problemas que ele pode apresentar. Afinal, se esse for o caso, muito provavelmente será uma situação de defeito de fábrica, o que pode gerar diversas dores de cabeça.

Logo de cara, vemos então o primeiro fator para uma compra segura: fazer uma análise detalhada quando for buscar o carro na concessionária e, se encontrar algum problema, comunicar antes mesmo de sair com o veículo.

Muitas lojas oferecem uma lista de checagem, e o mais recomendado é conferir ponto por ponto com muita calma. Mas com ou sem a lista, verifique tudo no carro para detectar qualquer falha e, caso encontre, enviar uma reclamação formal com pedido de reparo do(s) defeito(s).

Se após andar um pouco com o veículo você se arrepender da compra, isso pode gerar grandes problemas já que, conforme a Lei, não existe direito ao arrependimento nesse tipo de transação. A ideia, então, é fazer o test drive e tirar todas as dúvidas existentes sobre o modelo a fim de não passar por isso.

E caso você não tenha certeza sobre os equipamentos disponíveis no veículo, não esqueça de perguntar tudo durante a visita técnica para entender ao certo o funcionamento. Essa é uma ajuda para você não se arrepender de ter pego um veículo com mais acessórios do que você utilizará.

Nunca deixe de conferir o manual para entender tudo sobre o seu veículo, sabendo, por exemplo, qual é a calibragem correta dos pneus, entre outros pontos disponíveis no documento. Não tome esse fator somente como uma maneira de ficar dentro do que a legislação dita.

Por fim, busque conhecer a montadora do seu veículo a fim de saber previamente possíveis manutenções que você precisará fazer e quanto elas vão custar, e não esqueça de escolher o melhor seguro auto para proteger o seu carro novo.

Para seminovos e usados

Se você pretende comprar carros seminovos, a primeira coisa que você precisa fazer é ficar de olho em anúncios na Internet. Dessa forma, você consegue analisar fotos, detalhes do carro e dados do vendedor a fim de entender se é uma boa opção para você ou não.

Mas além disso, os cuidados que você precisa tomar são:

- Analisar minuciosamente o estado de conservação do veículo;

- Conferir o histórico do carro, suspeitar de preços muito abaixo do mercado (pois pode representar algo alarmante) e;

- Pedir a ajuda de um mecânico de confiança para ver se está tudo certo na parte interna e externa.

Fazer um test drive para sentir o carro também é sempre bem-vindo, já que é uma forma de descobrir como estão os sistemas e componentes fundamentais para o bom funcionamento. Por fim, se eventualmente você quiser vender o veículo no futuro, esteja atento aos modelos em que é possível receber um bom preço de volta.

Agora, se a sua intenção for comprar carros usados (majoritariamente modelos com mais de três anos de fabricação e uma quilometragem média para alta), seja por ser o seu primeiro carro ou por outros motivos, os cuidados devem ser mais incisivos, já que ele normalmente estará mais rodado.

Aqui, tudo começa prestando atenção aos sons do motor para ver se está tudo em ordem e fazendo um test drive para testar o carro. Caso não fique confortável com a sua análise inicial, leve para uma vistoria completa e descubra o estado de cada uma das peças.

Para evitar maiores preocupações, confira com o vendedor se está tudo regularizado, analise o histórico do veículo para saber sobre eventuais alterações e fique atento ao histórico da marca para entender se, com a quilometragem que o veículo está, existe alta chance de gastar muito com possíveis manutenções.

Avaliar preços também pode ser uma boa estratégia para encontrar o carro mais barato no modelo desejado. E para ter mais proteção, cotar um seguro auto pode ser uma boa ideia para que você tenha mais tranquilidade todos os dias.

E para quem deseja vender um automóvel?

A venda de carros nem sempre vai ser algo fácil de se fazer, apesar de algumas pessoas acreditarem que basta anunciar e o veículo é vendido instantaneamente. Devemos lembrar que existe a possibilidade de vender para uma concessionária ou então por conta própria. No primeiro caso, a loja cobra um valor para intermediar o procedimento, mas leva uma confiabilidade maior e uma série de garantias.

Porém, é fato que o segundo caso é o mais comum nos dias. Por isso, uma boa ideia é fazer um anúncio em feiras especializadas ou sites da Internet específicos para isso. E para facilitar, trouxemos uma lista com tudo o que você precisa fazer para evitar possíveis problemas, que são:

  1. Não deixe para definir o valor em cima da hora, ou enquanto está em contato com um possível comprador;
  2. Faça uma vistoria completa;
  3. Tenha um histórico completo do carro;
  4. Seja transparente caso tenha algum problema, independente do grau;
  5. Deixe o carro apresentável;
  6. Tome cuidado com a documentação, mantendo tudo em dia;
  7. Não mande dados pessoais antes de confirmar que fará a venda e evite combinar para apresentar o veículo em um local particular como sua casa ou local de trabalho.

A boa conservação, bem como o laudo cautelar em mãos e estar com todos os documentos em dia são ótimas formas para quem quer facilitar o processo, já que levam mais tranquilidade para possíveis compradores.

Se após fazer o anúncio, e com todos esses cuidados, chegar um comprador e vocês firmarem um acordo, a próxima preocupação é assinar a Autorização para Transferência de Propriedade de Veículo (ATPV), também conhecido como Documento Único para Transferência, o DUT.

Esse processo pode ser feito de forma totalmente digital e pode ter a ajuda de um despachante também, mas não esqueça de assinar somente quando tiver certeza de que vai receber o valor acordado ou apenas quando, de fato, cair na sua conta.

Isso deve ser feito em até 30 dias da venda e, caso o novo proprietário não assine, você corre o risco de receber cobranças e multas do seu antigo carro.

Qual base deve ser usada para definir o preço de venda?

Voltando especificamente para a primeira dica que você deve se atentar caso queira colocar o seu carro à venda, sobre a definição do preço, devemos lembrar que existe uma métrica para saber quanto ele vale. Essa, por sua vez, é a Tabela FIPE, que determina os valores médios dos automóveis no mercado nacional.

Tudo o que você precisa fazer, então, é entrar no site oficial do órgão para fazer a busca por meio do http://veiculos.fipe.org.br/, ou baixar o aplicativo oficial e fazer a consulta. Assim você consegue descobrir quanto o seu veículo vale, no mesmo ano e modelo que o seu, e determinar qual será o preço para a venda.

Agora, após conhecer todos os principais pontos de cuidado para comprar e vender veículos, se você quer saber tudo sobre os automóveis e conferir dicas sobre cuidados que você pode ter, não deixe de conferir o blog da Pier para saber tudo sobre como ter o melhor cuidado com o seu veículo.